Marketing de conteúdo: conheça tudo sobre esta estratégia matadora

Fique por dentro de tudo que rola por aqui

Receba conteúdos exclusivos em seu e-mail. Junte-se a nós!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
O Marketing de Conteúdo é uma estratégia vasta e com muitas vertentes. Entenda neste artigo, de maneira geral, como utilizar o marketing de conteúdo para gerar mais negócios na internet.

As empresas estão encontrando no Marketing de conteúdo, uma maneira mais barata e eficiente de conseguir mais do que clientes, verdadeiros propagadores de suas marcas.

A ideia de criar conteúdo de alto valor para os potenciais clientes, está fazendo um grande sucesso. No Brasil, mais de 78% das empresas estão fazendo desta prática, o carro chefe em aquisição de negócios e aumentam em até 30% suas oportunidades.

Em suma, marketing de conteúdo é: Criar conteúdos ricos em informação, pensando em realmente resolver um problema do público alvo, para gerar mais oportunidade de negócios ao criar uma autoridade na sua área de atuação.

Estes conteúdos podem ser entregues de várias formas, e-books, vídeos e até mesmo artigos em blog.

O foco, além de conseguir a atenção de clientes em potencial, é potencializar o poder da sua marca. Com o Marketing de conteúdo, é possível que além de preferir comprar de você, as pessoas se tornaram seguidoras fiéis e recomendariam a amigos ou familiares de olhos fechados.

COMO USAR O MARKETING DE CONTEÚDO PARA ARRASAR NAS VENDAS?

Concorrer diretamente com empresas grandes do seu setor sempre foi muito complicado, pois a empresas com altos recursos para investimento em marketing e publicidade podem alcançar mais clientes.

O Marketing digital mudou um pouco este panorama, mas ainda sim, é necessário recursos para gerar resultados a curto prazo.

Mas, o Marketing de conteúdo, permite que até mesmo pequenas empresas e até empresas individuais, possam se fortalecer de modo a concorrer de igual para igual com grandes empresas por um lugar ao sol na internet.

Pode demorar um pouco, mas com planejamento sólido e um bom conhecimento do mercado, pode compensar toda a falta de orçamento.

Produção de conteúdo de alta qualidade com foco em engajar sua audiência com sua marca e fortalecer estes laços, têm sido usado por quase 80% das empresas brasileiras, mas será que estão utilizando da maneira correta?

Postar coisas no seu blog, ou frases de efeito nas redes sociais, não fazer marketing de conteúdo. Como eu disse acima, deve haver um foco com planejamento bem definido.Seguir uma manada apenas por seguir, não traz resultados, a ideia é sempre inovar e realmente gerar algo de valor para seus clientes e futuros clientes.

Etapas de uma Marketing de Conteúdo bem feito

Agora, vou falar um pouco de termos técnicos (que irei explicar ao longo do texto), que compõe uma estratégia bem resolvida e que realmente traz resultados.

É um caminho cíclico, mas que busca sempre melhorias baseada nos resultados: Planejar, executar, testar, mensurar, melhorar e repetir.

Estas etapas definem bem uma estratégia de marketing de conteúdo. Agora vamos ver como funciona cada uma delas.

Planejamento

O planejamento consiste em colocar na mesa, tudo que é preciso para conquistar as suas metas. É também a estratégia de fazer o máximo possível com o mínimo dando errado.

1- Definição de metas metas

Começar uma jornada sem saber onde quer chegar é perda de tempo. As metas te permitem manter o pé no chão e trabalhar de forma consistente, a fim de alcançar um objetivo realista e acima de tudo, que valha a pena para o seu negócio.

A beleza do Marketing digital, é que tudo pode ser mensurado, cada ação, visita ou meta, ao contrário de outros meios de divulgação.

Desta forma, você pode sempre melhorar cada aspecto de sua campanha, analisando exatamente o que traz mais resultados.

2- Definição de público alvo

A melhor parte de trabalhar com marketing é que se trata puramente de pessoas. Entender dados demográficos, como idade, sexo e outros, são importantes, mas para se efetivo, você não deve falar com os dados e sim com as pessoas.

Sabendo exatamente quem é o seu público, fica mais fácil saber de coisas como, onde ele está, o que ele consome, o que é importante na vida dele. Desta forma você pode oferecer exatamente o ele precisa, na hora mais correta.

O nome que damos a este público em específico é Persona. ela representa sua audiência

Esse representante tem nome, idade, robes, cidade onde mora e todos os dados que você ache relevante. Vamos a um exemplo.

Um fotógrafo decide começar a divulgar seu serviço de fotografia de bebês recém nascidos.

Você não irá apenas jogar o anúncio no facebook e torcer para que os clientes apareçam.

Criar vários canais de comunicação, como páginas no FaceBook e pedir para os amigos e parentes curtirem, pode até fazer sentido no primeiro momento, mas não é nada eficaz. Se você quer realmente se conectar com o seu público e ter resultados de verdade, você deve ir atrás das pessoas certas.

Definir uma Persona, pode não ser tão simples como parece, você deve mesclar dados reais com informações hipotéticas.

O fotógrafo do exemplo, através de sua experiência de mercado, com entrevista de clientes e não clientes, ele chega a um resultado:

Sua persona é: Juliana, 27 anos, advogada, tem o seu próprio escritório, mãe da Roberta de 4 meses de idade, esposa do Carlos 32 anos, Gerente de projetos. Juliana é mãe de primeira viagem e engravidou da Roberta num momento oportuno de sua vida, pois tem uma vida financeira estável e planeja estar o mais presente possível no crescimento da sua filha.

Trabalhar por conta própria, possibilita a Juliana algum tempo livre, assim ela pode acompanhar o processo das fotografias bem de perto.

Ter uma vida financeira estável, permite que ela possa arcar com todos os custos.

Ser mãe de primeira viagem, desperta ainda mais a vontade ter este momento registrado em book completo de vários estágios da vida de Roberta.

Os nomes podem ser fictícios, mas os dados obtidos através de pesquisas, permitem detalhar bem e extrair informações cruciais para seguir com o planejamento.

3- Escolha de canais

Extraindo informações do perfil da Persona, é possível ir exatamente onde ela está e evitar ficar gastando energia e dinheiro.

A persona que definimos no tópico acima, poderá ser encontrada em alguns canais como estes:

Fóruns de mães de primeira viagem, página no facebook de mães, canais no youtube, pesquisas no Google e muitos outros.

As possibilidade realmente são muitas e no próximo tópico saberemos como podemos chegar a estes canais.

4- Escolha de ferramentas

Quem, onde e como. É um processo cíclico que deve ser analisado um por um, mas pensando de uma forma geral, pois cada processo depende do outro.

Conhecendo a público (quem), os canais (onde), falta agora as ferramentas (como). E-mail marketing

Além de ser uma técnica de marketing digital, também é uma ferramenta.

As ferramentas de e-mail marketing permitem que você capture leads (potenciais clientes), para que possa se relacionar com ele futuramente e também oferecer seus serviços ou produtos.

Os outros canais são utilizados para atrair as pessoas interessadas e o E-mail marketing fará o processo de transformar estas visitas em clientes.

É uma das ferramentas mais antigas do Marketing Digital e vai continuar forte por muitos outros anos.

Depois vou escrever um artigo especificamente sobre esta e as outras, pois são assuntos complexos.

Mas adianto que escolher uma ferramenta para começar não é uma má ideia.

Posso indicar a que eu utilizo a quase um ano e tem me agradado bastante. O LeadLovers, além de ser uma ferramenta de e-mail marketing, automatiza os processos mais avançados, que também posso discutir depois aqui. Ou seja, é uma ferramenta completa, por um preço muito interessante.

Google Analytics

Esta ferramenta é que mais utilizo. É gratuita e se bem utilizada, pode fazer uma diferença enorme no resultados de suas ações de marketing.

Não é usado apenas para ver quantas visitas o seu site têm, como a maioria acha, o Analytics coleta informações cruciais de como os visitantes estão utilizando o seu site, se suas páginas são eficientes no que se propões e se suas campanhas estão dando os resultados que você espera.

Tudo isso e muito mais é coletado e armazenado, dando a você o poder de analisar estes dados e tomar atitudes para melhorar o processo.

Blog

É sem dúvida o eixo central para a sua estratégia e deve, sem dúvida estar presente no seu planejamento.

Ter um blog permite você agregar todo o conteúdo produzido, seja vídeos, ebooks e principalmente artigos. Servirá para você ter uma ponte entre o interesse de cada cliente.

Se você ainda deseja começar a colocar em prática o Marketing de Conteúdo, é um ótimo canal por onde você deve começar.

Execução

Agora que começa a complicar. Não adianta ter o melhor planejamento do mundo, se a execução não for feita de forma correta e exatamente como planejado, a pesar de que nada sai como planejamos, mas pelo menos poder chegar o mais próximo possível.

O planejamento é essencial, assim como o projeto de uma cadeira. Primeiro desenhamos, medimos, pesquisamos sobre o assunto, escolhemos e compramos o material.

A execução é parte que começamos a construir a cadeira, e as ferramentas são os recursos que usamos para construir.

Assim como na construção desta cadeira, temos as ferramentas que utilizamos no Marketing de Conteúdo e são as citadas acima para começar é claro.

Estas ferramentas lhe permitirão gerir cada aspecto da sua estratégia, que como comentei no começo deste livro, são: Planejamento, execução, teste e mensuração.

Ferramentas para manter tudo rodando

Necessitamos de algumas coisas para executar todo o planejamento e manter as predições na linha. Vou apresentar algumas ferramentas que são bem úteis no processo.

Elas também serão fontes de tráfego para o seu site e/ou blog, por isso é importante dar a devida atenção a cada uma delas.

Fontes de tráfego gratuito

A execução do seu planejamento se dará de acordo com seus objetivos e tudo tem começar com pessoas para movimentar a sua estratégia.

Cada fonte de tráfego tem suas peculiaridade, e deve ser tratada de forma única.

1- Redes Sociais

Hoje é um excelente fonte de tráfego, pois traz pessoas realmente interessadas no que você tem a dizer, claro se você ir atrás do público correto.

Você pode usar várias redes sociais e ir adaptando o seu conteúdo de acordo com cada uma.

Mas antes de escolher uma delas, pesquise e tem certeza se seu público costuma frequentá-la.

FaceBook

Não tem como ignorar. Como bem mais que 1 bilhão de usuários, é difícil você não achar um público interessante.

Mas você deve ser consistente no que diz respeito ao público correto e o conteúdo que você divulga.

Curtidas não deve ser o principal objetivo, e sim a quantidade de interações com suas postagens, além da quantidade de tráfego que elas trazem.

Twitter

Também interessante pelo dinamismo. Com certeza você conhece e sabe deve ser utilizado da forma correta.

Pequenas frases impactantes, seguida de um link para um conteúdo relevante deve ser o principal foco.

Youtube

Exclusivo para vídeos. Não precisam necessariamente ter produções cinematográfica, o valor do conteúdo conta bem mais.

O objetivo é engajar o público de uma maneira mais interessante, utilizando o audiovisual para transmitir um conteúdo que vai fazer a diferença na vida de quem está assistindo.

Existem, obviamente outras mídias que podem ser interessantes para firmar a presença de uma empresa na internet, mas para começar, estas estão de bom tamanho. Cada uma com suas características e tipos de conteúdos a serem compartilhados. Se for compartilhar o mesmo conteúdo em todas, pelo menos personalize para cada uma delas.

2- Google (SEO)

Diferente das redes sociais, que são uma fonte de ocasião, ou seja, a pessoa está passando por alí, ver um conteúdo e clica, o Google, é utilizado por pessoas que já sabem a dúvida que tem e simplesmente pesquisa.

Se seu conteúdo aparece nas primeiras posições da pesquisa, a chance de quem busca clicar no seu link é maior. Mas para poder figurar entre as primeiras posições não é uma tarefa digamos, fácil.

Aqui eu cito apenas o Google, pois é o mais popular. Não quer dizer que focar em outros como o Bing, não seja interessante.

O SEO é um conjunto de técnicas que vai te ajudar a ter mais visitas provindas dos mecanismos de busca. É de graça, mas também não é.

Você não investe nenhum dinheiro diretamente, mas deve haver esforço, estudo e bastante tempo ou até mesmo investe em um profissional especializado.

Se for você mesmo a escrever os textos do seu blog, primeiro quero te indicar um artigo, onde dou algumas dicas para escrever para web. Bem aqui. Mas vou adiantar algumas aqui mesmo:

Use H1, H2, H3…

What? Se você for utilizar o WordPress por exemplo, para criar seu blog, no editor de textos tem como marcar os títulos e subtítulos com esta tag. Mas serve pra quê? Você deve estar perguntando.

O Google marca estas tags como algo que deve ser priorizado, ele entende que algo de relevante está marcado.

Utilize estas tags para estruturar o seu texto, dando prioridade aos títulos. isso também serve para quebrar um pouco o texto em assuntos, melhorando a legibilidade.

Torne seu texto escaneável

Eu mesmo, quando vou ler alguma coisa na internet, primeiro “passo o olho”, se eu for capaz de perceber que alí tem o que eu quero, vou me decidir por ler todo o conteúdo ou apenas aquilo que me interessa.

Fazer listas, usar negritos e usar parágrafos curtos, irá colaborar para o visitante decidir ficar naquela página e ler o texto, pois esta decisão é feita de forma inconsciente e em um piscar de olhos.

Então, se ele dar aquela passada de olho e o texto não for bem estruturado, o visitante irá deixar a página.

Capriche no título

Talvez a parte mais complicada, mas vale o esforço. Um bom título é a porta de entrada do visitante para o seu artigo, pois é através do título que ele irá tomar a decisão de clicar.

Pense e repense um que seja chamativo e informativo ao mesmo tempo e também não seja muito longo.

As técnicas não param por aí. Para saber mais como escrever bem para Web, clicando aqui. mesmo que não seja você a produzir os textos, ter uma noção sobre o assunto, vai te ajudar a alinhar com o redator, aquilo que você quer.

3- Guest Posts

Além de ser uma fonte tráfego de qualidade, pode ajudar no SEO do site (Esta parte merece um artigo mais detalhado).

Os guest posts, nada mais é do que você escrever um conteúdo e postar em um blog ou portal que atue na sua área ou que seu blog ou site complemente o conteúdo.

Há muitas formas de fazer isso. Você pode enviar um e-mail ao responsável do blog que escolheu e oferecer um artigo que seja original e que contribua para o público dele, desta forma, você pode incluir links para os seus conteúdos.

Vale lembrar que, nada adianta se você escrever em um blog que não condiz com o seu público ou que, aquele blog, não tenha tanta relevância na internet e visitas pontuais.

Este relacionamento com canais de áreas correlatas, ajudam a melhorar sua rede de contatos, e faz com que seu conteúdo e sua autoridade cresça.  

4- Fóruns e grupos de discussão

Mais uma vez, você tem duas possibilidades com esta prática: Conseguir tráfego de qualidade e gratuito e links que apontam para seu conteúdo, o que ajuda no SEO.

Responder dúvidas e sugerir bons conteúdo em grupos de FaceBook, Fóruns, dentre outros, é uma estratégia muito interessante, pelo motivos que citei acima. Mas lembre-se, tem que ter tudo a ver com o seu nicho de atuação.

Fontes de tráfego pago

É uma ótima solução se você precisa de resultados com um menor prazo. As campanhas elaboradas devem ter um objetivo muito claro e metas muito bem definidas para evitar desperdício de investimento.

As duas mídias que citarei abaixo, você tem total autonomia de definir um orçamento de acordo com sua disponibilidade e pensando em seus objetivos.

FaceBook Ads

Você deve ter ouvido falar. É uma ferramenta que permite você exibir anúncios no facebook.

É de certo modo complexa, mas nas condições de iniciante, você pode dominar muito bem para conseguir resultados.

Com o Facebook Ads, é possível definir um público baseados em centenas de informações, até mesmo poder aquisitivo. É bem preciso neste campo e um aliado importantíssimo.

Estudar a fundo os processos de Marketing digital, te leva a usá-la com muito mais eficácia, atingido muito mais pessoas, gastando o mínimo possível.

Google Adwords

Sabe quando você faz uma pesquisa no Google e aparecem aqueles primeiros resultados que se identificam como anúncios?

Foi utilizado esta ferramenta do Google, para exibir aqueles anúncios, baseados na palavra pesquisada. Também pode ser usado para exibir anúncios de outros formatos, como banners e vídeos. No caso dos banners, são exibidos em sites parceiros do Google, já os vídeos, são exibidos no youtube. Você já deve ter visto.

Além disso, você pode definir os sites específicos onde você quer que o seu anúncio seja exibido. É claro que quanto mais relevante seja o site, mais anunciantes brigarão por um espaço, isso pode elevar o valor dos anúncios, mas isso é papo para outros artigos.

Mensurar os resultados

Depois de todo o planejamento e mão na massa, é hora de ver o que deu certo e o que não deu, para então, fazer os ajustes necessários para começar tudo de novo.

Como eu disse lá em cima, uma das grande vantagens do marketing digital é que é possível medir cada ação e saber o exatamente o retorno que elas estão te trazendo.

Você pode saber quais canais são mais eficiente, quais trazem mais leads qualificados, quais são um desperdício de tempo e todo dado que você conseguir pensar.

Frequência de mensuração

Definir quando medir seus resultados é importante, pois coloca um prazo em suas campanhas. Seja toda semana, todo mês ou todo trimestre, esta frequência deve ser feita de forma religiosa.

Cada ação deve ser medida de acordo com o seu objetivo, não adianta verificar diariamente, a quantidade de curtidas que sua página no FaceBook teve por exemplo.

ROI

O famoso retorno sobre investimento, é uma métrica muito, senão a mais importante que você deve ter na ponta da língua.

Calcular o quanto de retorno o seu investimento está trazendo, lhe manterá focado e provará o valor de suas ações para o seu negócio.

A conta é simples, mas o assunto é extenso. Aqui neste livro, irei apenas lhe apresentar esta métrica, mas já ter dará uma ótima ideia do que se trata e como deve ser feita.

Como calcular o ROI

ROI = Ganho no investimento – Custo do investimento / Custo do investimento

Por exemplo: Se você fez uma campanha no FaceBook ads gastando R$150 e esta campanha lhe gerou R$400 em vendas:

Pegue o ganho (R$400) subtraia pelo investimento (R$150) e você terá um retorno de R$250, divida pelo valor do investimento.

ROI = 400 – 150 / 150 = 1,66 = 166%

Ou seja, para cada real que investiu, você ganhou R$1,66! Muito simples.

Conclusão

Vimos que com planejamento bem feito, execução levada ao pé da letra e muita mensuração, é possível pensar em uma estratégia de Marketing de Conteúdo que trará muitos resultados e acima de tudo, permitirá que você brigue por um lugar ao sol, com grandes empresas da sua área.

Nada é feito com pouco estudo e dedicação, não basta só acreditar no seu potencial ou do seu negócio, é preciso ter uma estratégia e saber como elaborá-la é essencial para o sucesso.

Este artigo é apenas uma base para que você possa começar a estudar e colocar em prática, e assim, colher os resultados.

Espero que tenha gostado deste conteúdo, de onde veio esse, tem muito mais sendo preparado.

Não importa qual é o seu negócio. Temos o conteúdo perfeito para te ajudar a vender mais na internet.

Vem bater um papo com um de nossos especialistas e veja como o conteúdo de qualidade irá transformar o seu negócio.

Logo Conteúdo e Marketing

| © 2018 – Todos os direitos reservados

  • Rua Bocaíva 371, São Benedito, Santa Luzia - MG
  • atendimento@conteudoemarketing.com.br
  • (31) 9 8638-0435

Receba um orçamento personalizado e sem compromisso!

Preencha o formulário que logo logo entraremos em contato com um orçamento de acordo com sua necessidade!